Boa noite Cinderela

2013-10-02 08.08.39

Anúncios

abacaxi

2013-09-18 13.20.18-1


proibido proibir

proibido proibir


abacaxi

2013-09-18 13.20.18-1-1


proibido estraçalhar

2013-09-26 07.10.10


Boa noite Cinderela

2013-10-02 08.08.39


Es tiempo de vivir sin miedo

Eduardo Galeano


COLABORARAM COM ESTA EDIÇÃO

Boris Groys

Itamar Assumpção

Sérgio Penna

Renato Megale

Tomás Lafetá

Stevie Wonder

Elisa Rodrigues

Jânio de Freitas

Sandra Penna

Gracie Santos

Adrea Vizeu

Salvio Penna

Radiohead

Vania Magdalena

Wilawa Szymborska

Astor Piazzolla

João Toledo

Cris Azzi

Rafael Castro

Roberta Manata

Vivi Guimarães

Miguel Pauste

Nádia Maria

Raimundo Nonato

Marcelo Kraiser

Geraldo Veloso


MÚSICAS DO MÊS

You are the sunshine of my life

Stevie Wonder

 

 

Elisa Rodrigues


INCULTURA

Só arranjo político-eleitoral pode explicar Marta Suplicy no Ministério da Cultura. A rigor, nem tal arranjo. Porque antes seria necessário explicar o Ministério da Cultura. No atual e nos governos que o antecederam.

Para falar-se em Ministério da Cultura é preciso, antes de qualquer ato, reconhecer as diferenças entre cultura e entretenimento. Enquanto morde com furor os salários, o Imposto de Renda abre mão de fortunas devidas por empresas e desviadas, no colo da lei, para o investimento em nome da cultura que não passa de mera diversão.

Nesse capítulo, é preciso rever tudo. O sistema que aí está é irrelevante para a cultura, discriminatório contra quem a ela serve e injusto socialmente. É muito mais fácil obter altas quantias para show de rock na praia do que para uma peça de Shakespeare ou uma publicação cultural, por exemplo.

As empresas -e entre elas as estatais- esbanjam doações à vontade, deixam de pagar Imposto de Renda, lucram com o resultado da publicidade feita pelos seus patrocínios e, em certas linhas de atividade financiada, ainda ficam com boa parte dos lucros produzidos pelos eventos.

Janio de Freitas

Folha de São Paulo

13.09.2012